técnico de laboratório abre tanque de criopreservação de células estaminais no laboratório bebévida

Células estaminais: 45 Anos de revolução da Medicina Regenerativa

Estou Grávida e Agora?, Gravidez

29 de Maio de 2020

Todos temos um “potencial de cura” dentro de nós!

Nos últimos anos, surgiu um novo ramo da medicina denominado Medicina Regenerativa, que consiste numa nova área da medicina voltada para a capacidade do próprio corpo em regenerar órgãos e tecidos. A Medicina Regenerativa tem como base os novos conhecimentos sobre as células estaminais e sua capacidade para se formarem células de diferentes tecidos.

As células estaminais são classificadas como embrionárias ou somáticas também denominadas de células estaminais adultas. Durante vários anos, considerou-se que as células estaminais embrionárias eram o único tipo de células estaminais capazes de se transdiferenciarem (transformarem) noutros tecidos. No entanto, estudos recentes têm demonstrado que tanto as células estaminais adultas como as células mesenquimais da medula óssea, gordura e células do cordão umbilical são capazes de se transformarem noutros tecidos de linhagens diferentes.

Isto tem criado novas perspetivas para o tratamento de diferentes doenças com células estaminais adultas, nomeadamente diabetes tipo I e II, artroses, doença de Parkinson, doenças cardíacas, esclerose múltipla, alguns tipos de cancro, crescimento de cabelo, dentição etc.

A Drª Kurtzberg é uma perita internacionalmente reconhecida em hematologia/oncologia pediátrica em terapias celulares emergentes e medicina regenerativa e foi pioneira na utilização do sangue do cordão umbilical como fonte alternativa de células estaminais em transplantes de células estaminais hematopoiéticas (HSCT). No decurso das duas últimas décadas, a Drª Kurtzberg estabeleceu um programa de transplantação pediátrica internacionalmente reconhecido na Universidade de Duke, tratando crianças com diferentes tipos de cancro, patologias do sangue, imunodeficiências, hemoglobinopatias e doenças metabólicas de origem genética.

A Medicina Regenerativa tem sido apelidada pelo Departamento de saúde e serviços humanos dos EUA de “a mais importante evolução nas terapias médicas”, mas esta realidade está mais próxima do que se imaginava.

A medicina regenerativa tem sido apresentada como um potencial revolucionário comparável ao momento histórico da descoberta da penicilina. Milhares de pais conscientes desta realidade guardam as células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical dos seus filhos.

Fique a conhecer todas as aplicações terapêuticas das células estaminais e casos de sucesso no site da BebéVida.

Artigo escrito pela BebéVida – Banco de Criopreservação de Tecidos e Células

Saiba mais sobre a BebéVida

Partilhar artigo

Artigos Relacionados