parteira com recé,-nascido na sala de parto

Células estaminais: guardar ou doar?

Estou Grávida e Agora?, Gravidez

29 de Maio de 2020

Apesar do sangue do cordão umbilical ser um bem demasiado precioso para ser deitado fora, quem não deseja guardar as células estaminais do seu bebé pode doá-las à ciência, para que possam ser utilizadas para investigação.

A BebéVida, banco familiar de células e tecidos, incentiva à doação das amostras para investigação e para serem utilizadas, se possível, em projetos de responsabilidade social.

Guardar as células estaminais para utilização própria e da família

Trata-se de um serviço pago e através do qual os pais podem guardar as células dos seus filhos para que, em caso de necessidade, possam ser utilizadas pelo bebé e familiares compatíveis, no tratamento de mais de 80 doenças ou ensaios clínicos em curso. Os pais podem guardar as células por 25 anos.

Doar as células estaminais para investigação

Trata-se de um serviço totalmente gratuito e que visa a doação da amostra de sangue do cordão umbilical a título de “amostras de controlo” ou para um Banco de Investigação. As amostras ficam criopreservadas no “Banco Ciência & Investigação Bebé Vida” e disponíveis para serem integradas em projetos de investigação que visam a descoberta de novas terapias celulares e melhoramento da qualidade de vida dos pacientes com doenças graves e/ou incuráveis.

Para quem deseja contribuir para o avanço da ciência e investigação agora já o pode fazer, doando as células do seu bebé. O importante é que as células estaminais, um bem tão precioso, não sejam deitadas ao lixo, após o nascimento. Este processo é totalmente gratuito e como se trata de uma doação os pais não têm quaisquer direitos sobre as células doadas.

Banco solidário: programa de colheitas e dádivas dirigidas para transplantação

Trata-se de um serviço totalmente gratuito e que abrange famílias com baixos rendimentos com indicação para transplantação hematopoiética e/ou famílias que correm um risco acrescido, dado o seu histórico clínico, de necessitar do sangue para transplantação.

Este projeto de responsabilidade social visa a realização da colheita, análise, processamento e criopreservação do sangue do cordão umbilical de bebés suscetíveis de terem irmãos portadores de doenças graves com potencial indicação para transplantes de progenitores hematopoiéticos.

Todo o processo será sujeito a uma rigorosa análise e as famílias aptas terão acesso a acompanhamento personalizado por parte da BebéVida que consiste num acompanhamento contínuo por parte do médico da BebéVida e da sua instituição Hospitalar.

Todo o processo será gratuito desde o kit de recolha de sangue dos produtos biológicos, à criopreservação por 25 anos, aos estudos de histocompatibilidade (quando necessários) até à disponibilização da amostra para terapia celular (com todas as análises solicitadas pelo hospital).

Seja qual for a sua decisão, para saber mais, pode consultar o site da BebéVida e contactar os seus especialistas.

Artigo escrito pela BebéVida – Banco de Criopreservação de Tecidos e Células

Descubra tudo aqui

Partilhar artigo
Claudia Vieira com Kit de Criopreservação de Células Estaminais BebéVida

Artigos Relacionados