Acne Neonatal

Eritema Tóxico e Acne Neonatal: alterações cutâneas mais comuns em bebés

O Bebé, Saúde & Cuidados do Bebé

28 de Dezembro de 2020

A pele é o maior órgão do corpo humano e no recém-nascido desempenha um papel fundamental na transição do meio aquático do útero para o meio aéreo após o nascimento.

Até aos 24 meses de vida do bebé, a pele não é igual à dos adultos ou das crianças mais velhas. No momento do nascimento, a pele é muito sensível e frágil, passando por um período de adaptação ao seu novo meio.

A maioria das alterações da pele dos bebés é fisiológica, ou seja, é normal que aconteça, e transitória. No entanto, é uma fonte de preocupação para os pais e um motivo frequente de ida ao serviço de Urgência da Pediatria.

Hoje trago-vos duas alterações muito comuns na etapa neonatal: o eritema tóxico do recém-nascido e o acne neonatal.

Eritema tóxico

O eritema tóxico do recém-nascido é muitíssimo frequente, ocorrendo em até 50% dos bebés, independentemente do sexo ou da etnia. É raro em prematuros e em neonatos que pesam menos de 2,5kg.

Caracteriza-se por borbulhinhas semelhantes a picadas de inseto que começam na cara e que posteriormente se estendem para o tronco e extremidades. Não afeta as palmas das mãos nem as plantas dos pés.

Aparece entre as 24 e as 48 horas de vida e resolve-se de forma espontânea aos 7 dias de vida.

Durante os primeiros meses de vida, os bebés estão expostos a uma maior quantidade de hormonas transmitidas pela sua mãe, especialmente se fazem aleitamento materno.

Acne Neonatal

O acne neonatal é um exemplo de alteração hormonal.

Entre a segunda e a terceira semanas de vida, inicia-se uma erupção facial muito semelhante ao acne dos adolescentes e jovens adultos.

Aparecem borbulhas, algumas com cabeça branca e pus mas sem pontos negros. Estas lesões podem durar até 3 meses e desaparecem de forma espontânea.

O que devemos fazer se os nossos bebés apresentam eritema tóxico ou acne neonatal?

Aprimorar a higiene e a hidratação da pele, com produtos adequados a recém-nascidos. Não há indicação para fazer medicação, pois, como já vimos, são alterações que passam sozinhas.

Artigo escrito pela Pediatra Dra. Inês Claudino, Pediatra e fundadora do projeto Dona Bebé.

Pode saber mais sobre o projeto no seu Instagram e Facebook.

Assista ao vídeo

Partilhar artigo

Artigos Relacionados