grávida sentada com as mãos na barriga

Comunicação Intra-Uterina: como comunicar com o bebé

Saúde & Cuidados do Bebé

6 de Agosto de 2020

A gravidez é sem dúvida um momento único na vida de um casal…. A passagem de casal a pais é um processo complexo que vai sendo edificado ao longo da gravidez e que contribui para a transição de papéis, construindo-se laços que perduram para a vida.

A comunicação intra-uterina com o bebé proporciona um maior conhecimento das características de cada elemento da nova família em construção. Não só os pais e o bebé desenvolvem capacidades de comunicação, como aprendem a conhecer os seus ritmos e as
suas estratégias para partilhar sentimentos e situações do dia-a-dia.

As técnicas de comunicação intra-uterina foram pensadas e desenvolvidas com a ajuda de outros casais grávidos que manifestaram o desejo de conversar com a sua barriga. Mais do que técnicas, são estratégias simples de comunicação entre os pais e o bebé, que abrem um canal
para a partilha entre o meio exterior e o meio intra-uterino…e são tão simples que se tornam naturais.

Como comunicar com o seu bebé

A forma de comunicar com o seu bebé durante a vida intra-uterina está relacionada com o desenvolvimento dos cinco sentidos que vai sendo manifestada pelo bebé a partir das 22 semanas de gravidez. A realização desta comunicação é própria da forma de ser e estar de cada ser humano, o que faz com que cada mãe e/ou pai as coloque em prática de acordo com as suas disposições e momentos pessoais.

É necessário ter em conta que as técnicas de comunicação intra-uterina se constituem como linhas condutoras, adaptáveis de acordo com a forma como o casal se relaciona e com as suas necessidades em termos da passagem de casal a pais.

A música

A música constitui-se como uma ponte ou um canal facilitador da aproximação entre o casal e o seu bebé. Permite construir de forma consciente ou inconsciente um espaço agradável de partilha de sentimentos. Uma das características mais importantes desta forma de
comunicação é a sonoridade da música escolhida bem como o ritmo que deve ser sempre semelhante. Não é importante o tipo de música em si mas o facto de ser agradável e relaxante para ambos os pais. Existem casais que escolhem música clássica, de relaxamento, hip-hop, entre outras.

Na prática os resultados obtidos são semelhantes pois desde que se sintam tranquilos e que desfrutem do momento, o seu bebé também o irá sentir.

A associação da música a períodos de tranquilidade e serenidade faz com que o casal se encontre mais disponível para a troca de estímulos com o bebé e para o seu próprio auto- conhecimento. O desenvolvimento gradual da audição e da sensibilidade facilita ao bebé a associação destes períodos de relaxamento ao estímulo musical, o que condicionará no futuro o seu comportamento. Assim é mais provável que após o nascimento o bebé associe a música ao relaxamento e se acalme quando reconhecer este estímulo já tão familiar.

O bebé, ao sentir-se envolvido num momento de carinho, e de disponibilidade dos pais para consigo, poderá desenvolver um sentimento positivo quando ouve a música utilizada durante a gravidez.

As conversas com o bebé

As conversas com o bebé constituem-se como uma fonte de estímulos externos relacionados com os diálogos dos pais. A mãe, é a figura cuja voz é ouvida pelo bebé durante mais tempo durante a gravidez, pelo imperativo biológico associado, uma vez que sempre que esta fala, mesmo que o discurso não seja direcionado ao bebé, ele ouve.

É reconhecido que o bebé depois de nascer e nos momentos seguintes, vira a cara na direção das vozes que lhe são familiares o que poderá estar relacionado com as conversas com a barriga que os pais mantiveram ao longo da gravidez. Este reconhecimento entre pais e bebé ajuda a mãe e o pai a sentirem-se mais capazes de enfrentar este novo desafio da parentalidade.

Tocar na barriga

O toque é uma das vias de transmissão do afeto que permite o desenvolvimento e aprofundamento das relações de confiança. Durante a vida intra-uterina, os exercícios de relaxamento feitos pela mãe podem também ser sentidos como formas de toque para o bebé,
pois através destes ele consegue sentir o estado emocional materno, seja de tranquilidade ou ansiedade.

Neste sentido, é também conhecido que o bebé sente a diferença entre os vários toques realizados na barriga da mãe. Os pais referem que o seu bebé responde de forma diferente ao toque da mãe e/ou ao toque do pai, bem como de uma pessoa que não seja próxima.

Pensamentos para o seu bebé

Esta forma de comunicação intra-uterina privilegia a mãe pois ela é a única que pode ter pensamentos positivos direcionados para o seu bebé. Estes pensamentos são benéficos pois a nível fisiológico há uma resposta hormonal associada ao relaxamento e à tranquilidade.

É fundamental que exista uma disponibilidade afetiva da mãe e que esta se concentre no seu bebé, nos benefícios que este momento de partilha e de estimulação representam para a vida intra-uterina. Todo este fenómeno de sonhar acordado contribui para uma maior aproximação entre os desejos dos pais e a relação afetiva que se constrói, direcionando as perceções de carinho e ternura para o bebé.

Recordações para mais tarde:

  • Existem quatro formas de comunicar com a vida intra-uterina do seu bebé: música, conversas com o bebé, toque na barriga, pensamentos para o bebé.
  • Podem ser feitas em simultâneo, o importante é que o momento seja de relaxamento e tranquilidade e que faça parte do dia-a-dia do casal.
  • Quanto mais vezes forem colocadas em prática as técnicas, maior será o feddback do bebé.
  • A forma como o bebé reage a cada uma das técnicas condiciona também a forma como os pais encaram cada uma delas, tornando agradável e entusiasmante uma técnica, que através da interpretação da resposta do bebé, também lhe aparenta agradar.

Artigo escrito pela Enfª Maria João Silva, Especialista em Saúde Materna e Obstetrícia

Veja mais dicas na Academia Online

Partilhar artigo
Claudia Vieira com Kit de Criopreservação de Células Estaminais BebéVida

Artigos Relacionados