Como o yoga fortalece a ligação entre mãe e bebé durante a gravidez

Gravidez, Lifestyle Gravidez

15 de Setembro de 2021

A ligação entre a mãe e o bebé no útero materno é um processo vital para a sobrevivência do bebé e, de facto para a sobrevivência de toda a humanidade. É o primeiro contacto com o amor que temos na nossa vida, e todo este processo se baseia num vínculo de conexão!

Este processo de ligação tem implicações para ambos, para a forma como é encarada a gravidez, o parto e a vida após o parto, e pode ser afetado por diversos fatores na vida da mãe tais como o ambiente em que vive, as suas relações, o seu estilo de vida e personalidade, o seu próprio estado físico e emocional, ansiedades e receios.

A mãe pode sentir uma ligação fraca ou até a ausência de ligação com o seu bebé quando se sente sob stress ou pressão na sua vida diária, quando tem dificuldade em ajustar-se às suas novas necessidades, quando resiste a fazer mudanças em função das necessidades do seu bebé, quando não se sente grávida e quando de facto está, quando não se consegue focar na sua gravidez e apenas consegue pensar no seu trabalho ou nas tarefas da sua vida, quando tem um relacionamento conflituoso que a perturba emocionalmente, seja ele familiar ou laboral.

Por outro lado, fatores como partos traumáticos, perdas gestacionais anteriores, a própria infância da mãe, a falta de apoio, podem enfraquecer o vínculo entre a mãe e o bebé. No caso das perdas gestacionais anteriores existem mesmo mães que têm receio de se conectar afectivamente com o seu bebé, e todas estas dificuldades ou desafios devem primeiro ser reconhecidos pela própria mãe, para que então também possam ser também ultrapassados, e a mãe possa vivenciar com toda a sua plenitude a ligação íntima com o seu bebé.

Uma mãe que não consiga fortalecer esta ligação e acolher às suas necessidades físicas e emocionais e também às próprias necessidades do seu bebé em desenvolvimento, está mais suscetível a sofrer de depressão pós-parto e menos apta a superar os desafios da amamentação.

Recorrer a ajuda e procurar apoio é essencial, e a gravidez pode ser encarada como uma ótima oportunidade para nos conhecermos melhor, a nós mesmas e à nossa própria transformação de mulher para mãe, para aprendermos a ultrapassar os nossos desafios, para criar um local seguro para nos expressarmos e incorporar novas sensações e emoções positivas no nosso corpo e mente, que irão influenciar a experiência e perspetiva do bebé do mundo cá fora.

Mesmo quando a mãe não sente a ligação com o seu bebé, ela precisa de entender que a mesma já existe, a experiência de maternidades já começou e, durante toda a gravidez, a mãe e bebé estão numa fusão de corpo, emoções e pensamentos.

Tudo o que a mãe faz na sua gravidez vai influenciar, para sempre, a vida do seu bebé. Quando a mãe vence desafios está a ensinar ao seu bebé que é possível superar medos e bloqueios, estimulando o sentimento de amor-próprio, valor próprio e confiança do seu bebé, tornando a conexão entre ambos mais forte e positiva.

Como o yoga pode ajudar?

Nas sessões de yoga para grávidas, a mãe é desafiada a experienciar o processo de ligação com o seu bebé desde o princípio da gravidez. A mãe aprende a tornar-se mais atenta, sensível e usar técnicas simples para aumentar o potencial da sua conexão com o seu bebé.

Isto pode levar algumas horas ou semanas, mas esta comunicação acontece não só a nível físico, como também a nível psicológico. O laço emocional surge muito antes da ligação física que normalmente é experienciada entre as 18 e as 25 semanas, quando a mãe começa a sentir o movimento do bebé.

Cada mulher deveria estar consciente do poder que vem com toda a maternidade e com a conexão que se estabelece com o bebé ainda por nascer, para que permita deixar acontecer, deixar fluir e viva de forma mais positiva toda a sua experiência de gravidez, parto e pós-parto sem oferecer resistência.

Quanto mais uma mulher está presente no momento, quanto está consciente da sua capacidade de se acalmar, relaxar, deixar acontecer e fluir, melhor será o vínculo entre ambos. A mãe e o bebé estão a trabalhar em equipa, o bebé também existe para ajudar a mãe no seu crescimento, e a mãe que exercita a sua observação interior e sensibilidade, consegue estar mais atenta não só a si mas também às necessidades ou desconfortos do seu bebé, ao que o bebé quer e ao que o seu bebé não quer.

Artigo escrito pela Professora de Yoga e Educadora Pré-Natal Susana Lopes,
Fundadora do projeto Yoga e Maternidade

Partilhar artigo

Artigos Relacionados