Parto e Pós PartoCirurgia íntima no Pós-Parto

Cirurgia íntima no Pós-Parto

Hoje em dia ser mãe não significa perder a silhueta conquistada antes da gravidez, nem mesmo nas partes mais íntimas do corpo da mulher. Nesta área, a cirurgia estética tem em muito contribuído para o aumento da autoestima das mulheres portuguesas.

Longe vão os tempos em que o recurso à cirurgia estética estava ao alcance apenas de algumas pessoas e era considerado ”tabu”.

Na última década, a cirurgia plástica vaginal tem tido um aumento de cerca de 20% por ano. As imagens sexuais em revistas, filmes e televisão permitem que as mulheres se comparem entre si e decidam se a sua aparência genital é aceitável ou não.

No entanto, alerto que a mulher após o parto necessita, em média, de 6 meses a um ano para recuperar e reavaliar o seu corpo. É necessário iniciar a atividade física e, na generalidade, perder algum peso. No parto normal, é muito frequente que a mulher deseje corrigir, através da cirurgia de perineoplastia, a facidez do orifício vaginal.

Ainda assim, cerca de 90% das pacientes que procuram esta cirurgia fazem-no por motivos estéticos.

Vivemos numa época em que o mundo está mais aberto a falar da sexualidade e, sobretudo, a sexualidade feminina ganhou uma expressão e importância que não existia noutros tempos ou culturas.

Acresce ainda a informação que cada vez mais mulheres têm. Neste contexto, muitas sabem se estão insatisfeitas com a forma da sua vulva ou relaxamento do canal vaginal e que existem técnicas de cirurgia plástica que podem ajudar a que se sintam muito mais confortáveis com a sua intimidade.

Os genitais externos femininos consistem na vulva e clitóris. Na vulva, as estruturas anatómicas mais importantes para uma estética vaginal agradável são os pequenos e os grandes lábios. O intróito vaginal é a entrada da vagina, podendo ser apertado, tal como o canal vaginal.

A queixa mais comum das mulheres em relação à sua estética vaginal é a proeminência dos pequenos lábios, muito comum em mulheres que foram mães. De forma geral, os pequenos lábios não devem ultrapassar os limites dos grandes lábios. Quando os pequenos lábios são muito grandes, isso interfere com a higiene, pode dar desconforto durante as relações sexuais, exercício físico ou uso de biquínis e roupa justa.

Os grandes lábios podem ser reduzidos ou aumentados, no que respeita ao seu tamanho, não sendo no entanto uma alteração tão frequente como a dos pequenos lábios.

Em relação ao clitóris, podemos reduzir a pele redundante em seu redor, aumentá-lo ou diminuí-lo, em casos muito selecionados.

A fenda vaginal (abertura) pode ser diminuída e o canal vaginal poderá ser apertado.

De uma forma geral, estas cirurgias podem ser efetuadas com anestesia local, sendo feitas sob anestesia epidural, ou sedação e anestesia local, se a paciente preferir.

No pós-operatório, é fundamental a aplicação de gelo local, pomada antibiótica e abstinência sexual durante 30 dias.

Se se sente desconfortável com os seus genitais externos, procure esclarecimento de um especialista, encarando o problema com naturalidade.

Artigo escrito pelo Dr. Hélder Silvestre, Cirurgião Plástico e Diretor Clínico da MyMoment

A sexualidade durante a gravidez

ARTIGOS RECENTES

ARTIGOS RELACIONADOS

Especial Grávida Online

29 de fevereiro às 18h - 19h30 Como funciona? No dia 29 de fevereiro, entre as 18h e as 19h30, contamos consigo no Especial Grávida Online.Ao...

Cadeira da Papa

até 29 de fevereiro   Como funciona?   Está grávida? Participe neste PASSATEMPO e habilite-se a receber uma Cadeira da Papa! 📅 Válido para inscrições até dia 29...
Mamãs Sem Dúvidas - Conteúdo e dicas exclusivas para mamãs

Eu como mulher, mãe e pessoa: autoconhecimento, autoconfiança e autoestima

Quando nasce um bebé nasce uma mãe. Frequentemente focamo-nos no papel de mãe e deixamos para trás a Mulher, a pessoa, esquecida no meio da...