Parto e Pós PartoEu como mulher, mãe e pessoa: autoconhecimento, autoconfiança e autoestima

Eu como mulher, mãe e pessoa: autoconhecimento, autoconfiança e autoestima

Quando nasce um bebé nasce uma mãe.

Frequentemente focamo-nos no papel de mãe e deixamos para trás a Mulher, a pessoa, esquecida no meio da azáfama que o novo papel traz.
Ser mãe não significa privar-se de tudo o que fazia antes. O nascimento de um filho envolve grandes mudanças, principalmente nos primeiros meses de vida da criança, mas depois é preciso encontrar um equilíbrio.

Esta transição de mulher para mulher-mãe exige grandes mudanças e adaptações ao nível biológico, psicológico, social e relacional, principalmente quando se trata do primeiro filho. É impactante quer na vida pessoal como familiar, modificando irreversivelmente a identidade, os papéis e as funções da mãe, bem como do pai e de toda a família. É uma fase de (re)descoberta da mulher que é o que precisa de ser reconstruído.

É necessário que as mães acolham a ideia de que cuidar de si próprias é também importante. É uma demonstração de amor pelos filhos, assegurando que eles recebam a melhor versão delas.

O que podemos fazer para cuidar da nossa
autoestima?

Pedir ajuda sempre que necessário, partilhar as nossas necessidades ajuda
aliviar a carga mental.
• Identificar os processos de transformação interna e externa, respeitando o
ritmo.
• Explorar a rede familiar e de amigos para ajudar neste processo. Definir para cada pessoa o tipo de ajuda podem prestar (prático ou emocional) e as necessidades que poderiam responder.
Cuidar do corpo e da mente: autocuidado é fundamental. Encontrar tempo para si mesma, fazer aquilo que gosta.
• Focar-se no presente, não esquecer das suas prioridades, e da sua identidade.

Neste sentido, é importante que se sinta capaz de identificar e valorizar a nova Mulher, os seus objetivos, as suas prioridades, os seus pontos fortes e os pontos a trabalhar. Criar uma maior motivação para este autocuidado e reforçar a autoestima.

A promoção da saúde mental nestas fases é imprescindível, no sentido de determinar o melhor ajustamento ao período que a mulher atravessa, bem como auxiliar no desenvolvimento de recursos e competências que possam facilitar o estabelecimento de uma relação individual e familiar saudável.

Artigo escrito por Dra. Ana Tavares, Psicóloga Clínica

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

9 − 7 =

ARTIGOS RECENTES

ARTIGOS RELACIONADOS

Especial Grávida Online

26 de junho às 21h Como funciona? No dia 26 de junho, entre as 21h, contamos consigo no Especial Grávida Online.Ao inscrever-se gratuitamente, habilita-se a ganhar...

Conjunto Amamentação Medela

até 30 de junho   Como funciona?   Está grávida? Participe neste PASSATEMPO e habilite-se a receber um conjunto de Amamentação da Medela e ainda uma consulta online...

Trabalho de Parto

19 de junho Como funciona? Para o dia 19 de junho, a Mamãs Sem Dúvidas organizou um Curso Flash para falar sobre o trabalho de parto,...