Aromaterapia na gravidez – quais os principais cuidados? 

Gravidez, Lifestyle Gravidez

29 de Novembro de 2021

Muitas vezes, ouvimos falar em óleos essenciais como se fossem os únicos elementos da aromaterapia mas, na realidade, esta terapia natural dispõe também de óleos vegetais e Hidrolatos que podem ajudar tanto ou mais que os óleos essenciais e, se usados em conjunto, poderão ter um efeito mais potenciado.

A Aromaterapia recorre apenas a soluções naturais. Contudo, não é por isso que poderá ser usada de forma leviana, existem cuidados a ter sempre, independentemente de haver ou não gravidez!

8 dicas importantes

  1. Os óleos essenciais são extremamente concentrados, por isso, é obrigatório que sejam diluídos em óleos vegetais antes de serem aplicados na pele.
  2. A diluição dos óleos essenciais vai depender da pessoa que está a usar, da sua idade, se tem alguma problema de saúde, se toma medicação e também da situação que se pretende resolver.
  3. Outra forma de utilização da aromaterapia é a via aromática. Esta é uma das mais utilizadas por ser mais fácil e não requerer tantos cuidados. Contudo, recomendo que não faça difusão prolongada em locais muito pequenos e não arejados, especialmente para pessoas mais sensíveis ao nível olfativo como é o caso das grávidas.
  4. Dentro da forma de utilização aromática, o óleo essencial pode ser inalado diretamente do frasco. É importante que durante a inalação, o óleo não atinja as mucosas!
  5. Existem óleos dermocáusticos, o que significa que, nestes casos, se prioriza outras vias de utilização que não a tópica ou o óleo tem de ser muito diluído para não haver sensibilização da pele.
  6. É fundamental que saiba a espécie botânica do óleo essencial pois existem casos da mesma planta originar vários óleos essenciais, por exemplo, o lavanda angústifolia é o mais adequado na gravidez e bebés. Atenção: a espécie botânica deve ser sempre referida no rótulo.
  7. No caso de gravidez existem óleos proibidos como algumas lavandas, canela, esteva, alguns tomilho, entre outros.
  8. Além dos cuidados de utilização, os óleos essenciais devem ser mantidos com algumas condições especiais, sendo que as mais importantes são o armazenamento em frascos de vidro escurecido, que não estejam expostos à luz solar e grandes variações de temperatura e, de preferência, guardados numa caixa de madeira natural.

Para que possamos ter o efeito desejado com a utilização da aromaterapia temos de conjugar todos estes cuidados, beneficiando, assim de uma utilização segura e eficaz.

Artigo escrito por Cátia Fernandes, Aromaterapeuta

Aromaterapia – o que é?

Partilhar artigo

Artigos Relacionados